xml !

terça-feira, maio 04, 2010

COBERTURA JORNALÍSTICA DE CATÁSTROFES


Território destruído, fome, pilhagens. Crianças abandonadas na rua. Comunicações reduzidas ao mínimo. Como trabalham os jornalistas em situações de catástrofe? O Haiti ou a Madeira são apenas dois dos casos mais recentes em que vários jornalistas portugueses tiveram de enfrentar situações limite, alguns deles pela primeira vez. António Antunes, da RTP, Cândida Pinto, do jornal Expresso, José Manuel Rosendo, da Antena 1, Patrícia Fonseca, da revista Visão, e Paulo Moura, do jornal Público, vêm à Lusófona, dia 10 de Maio, pelas 17h30 contar – na primeira pessoa – o que significa assegurar a Cobertura Jornalística de Catástrofes.
A Licenciatura em Comunicação e Jornalismo da Universidade Lusófona convida todos os interessados a estarem presentes na conferência Cobertura Jornalística de Catástrofes, a 7ª do Ciclo de Conferências Comunicação e Jornalismo no séc. XXI.
A entrada é livre. Será passado um Certificado de Participação nominal.

Recebido de Fernando Correia