xml !

domingo, maio 13, 2007

TELEVISÃO, iniciativa da

"A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) propôs, esta quarta-feira, a criação de medidas para a acessibilidade dos cidadãos deficientes, que representam 22% da população, no âmbito da televisão digital terrestre.

Segundo Francisco Godinho, coordenador do Centro de Engenharias e Reabilitação em Tecnologias de Informação e Comunicação (CERTIC), da UTAD, foi enviado à Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) um contributo sobre a matéria de acessibilidade para cidadãos com necessidades especiais.

Conforme refere a agência Lusa, o objectivo é que a ERC inclua estas medidas no parecer que terá que dar ao Governo até 14 de Maio sobre a regulamentação da televisão digital terrestre em Portugal.

Nesse sentido, o responsável na UTAD sugere que, em matéria de «reserva de capacidade e obrigação de transporte e difusão», seja atribuída maior largura de banda à RTP, SIC e TVI a fim de poderem fornecer serviços de acessibilidade adequados à tecnologia digital.

Francisco Godinho adiantou que para cada rede solicita-se capacidade equivalente a um canal de TV Digital, que permitirá transmitir serviços especificamente concebidos para acesso adequado por parte dos utilizadores com deficiência e idosos.

Segundo refere o site da RTP, estes serviços consistem na difusão de três sinais complementares à emissão normal, tais como um sinal de vídeo para interpretação e Língua Gestual Portuguesa (LGP), um sinal de áudio para a dobragem em português de programas estrangeiros ou para fornecer áudio-descrição para pessoas com deficiência visual e um terceiro sinal de dados com legendas para surdos.

«A sobreposição dos sinais na emissão recebida pelos utilizadores será opcional, tal como acontece actualmente com as legendas para surdos transmitidas através do teletexto da RTP, SIC e TVI», explicou o responsável.

É também recomendada a valorização de propostas que promovam a acessibilidade e usabilidade da televisão digital terrestre, nomeadamente a interacção pessoa-televisão, bem como condições especiais para populações com baixos rendimentos."

In Fábrica de Conteúdos.