xml !

sexta-feira, janeiro 12, 2007

UM DIA A FALAR DE IMAGENS MÉDICAS

Dias 16 e 17 de Fevereiro 2007

sexta (início às 18h 30 m)
e sábado (encerramento às 18h)
No Instituto Franco-Português, Avenida Luís Bivar, 91 Lisboa
Metro: Saldanha e Picoas

Inscrição: Até 10 de Fevereiro 40 euros
Depois de 10 de Fevereiro 70 euros
Estudantes: 15 euros (nº limitado de inscrições)
Inscrições
e-mail josecarlos.abrantes@gmail.com
telefone 936 346 853



Em Outubro, as Edições 70 publicaram o livro A Fábrica do Olhar, de Monique Sicard inserido na colecção A Construção do Olhar. A colecção pretende dar seguimento à concepção que as imagens se completam com as palavras. Uma imagem vale mil palavras, diz-se. Neste caso privilegiaremos as palavras. Esta é a razão maior para a colecção: publicar palavras sobre as imagens, os olhares, os ecrãs, os modos de as fabricar, de as ler e usar. Palavras que possam ser contributos para construir o olhar, para nos revelar modos de ver. Palavras que se ambiciona nos ajudem a não perecer num tsunami de imagens: as imagens, sem palavras e sem outras formas de apropriação e expressão, podem ter efeitos devastadores. Começámos com A Fábrica do Olhar, de Monique Sicard. Seguir-se-ão livros de Ema Sofia Leitão, Rogério Santos, João Lopes, Francisco Teixeira da Mota e Jorge Leitão Ramos, e, ainda, de Serge Tisseron.

Monique Sicard veio a Portugal para o lançamento do referido livro e participou numa iniciativa intitulada Um dia a falar de imagens, organizada em colaboração com o Departamento de Comunicação da Universidade Nova e o Centro de Estudos de Comunicação e Linguagem (CECL). A iniciativa teve também o apoio do Serviço de Educação da Fundação Calouste Gulbenkian. No dia 16 de Fevereiro, Monique Sicard voltará ao nosso país para orientar o seminário La photographie: Un bien public? que terá lugar no Centro Cultural de Belém. No dia seguinte, sábado, estará também presente numa iniciativa intitulada Um dia a falar de imagens médicas. Especialistas e profissionais conceituados reflectirão sobre as imagens que diagnosticam a nossa saúde e a nossa doença. Noutros tempos os médicos afiançavam ao doente, talvez com fundamentos escassos mas depois da realização de observações directas, "não tem nada". Hoje dizem "não vejo nada", deixando subentendido, ou claramente afirmado, que outra imagem, de outro tipo, possa gerar diferentes diagnósticos. Por outro lado, quando o corpo precisa de alguma intervenção, a cirurgia socorre-se de ecrãs e de câmaras, tornando os actos cirúrgicos mais precisos. A televisão aproveita o acto médico para nos descrever a profissão médica, as doenças, a vida hospitalar. Os artistas aproveitam a singularidade de certas imagens para delas fazerem obras de arte, expostas em galerias. Nós próprios, muito preocupados com a imagem do nosso corpo, oscilamos entre os pavores da obesidade e da anorexia, tentando manter equílibrios que se rompem com o estilo de vida e os hábitos.

Vamos dedicar um dia a reflectir sobre o mundo das imagens médicas e sobre as relações que a medicina, os médicos e os cidadãos com elas estabelecem.

Um Dia a Falar de Imagens Médicas

Dia 16 de Fevereiro, no Institut Franco Portugais
Avenida Luís Bívar, 91
Lisboa


18h 30m Abertura com entidades organizadoras e de acolhimento
Laure Bourdarot,
Directora do Institut Franco-Portugais

Nota de abertura
José Carlos Abrantes

O médico e as imagens
João Lobo Antunes,
director do Serviço de Neurocirurgia/Hospital de Santa Maria


21h LogoExisto, documentário de Graça Castanheira
com a presença da realizadora

A realizadora e o filme serão apresentados por José Carlos Abrantes


Dia 17 de Fevereiro, no Institut Franco Portugais

10h Presidente/moderador Dominique Chastres,
conselheiro audiovisual da Embaixada Francesa
As imagens médicas vistas por Monique Sicard,
investigadora e ensaísta

11h Intervalo

11h 15 As imagens médicas vistas do lado da prática médica, do ensino e da investigação
Moderadora Carla Rodrigues Cardoso, professora na Universidade Lusófona
José Manuel Reis Santos,
médico urologista no British Hospital
e professor na Universidade Católica

Mário Andrea,
director do Serviço de Ortorrinolaringologia do Hospital de Sta Maria
Regina Marques,
Escola Superior de Educação de Setúbal,
doutoranda no domínio da retórica da imagem



14h 15 As imagens médicas vistas do lado da investigação médica e da arte
Moderador Marise Francisco,
Serviço Educativo do Centro Cultural de Belém
Manuel Valente Alves,
médico e artista plástico, director do Museu de Medicina
Maria do Carmo Seren, historiadora


15h 45 Intervalo

16h As imagens médicas vistas do lado da apropriação pelos cidadãos e pelos media
Moderador Paulo Filipe Monteiro,
professor na Universidade Nova

Eduardo Cintra Torres,
professor na Universidade Católica e colunista do Público

Eduardo Prado Coelho,
professor na Universidade Nova, colunista no Público

José Bragança de Miranda,
professor na Universidade Nova

Margarida Pereira,
médica radiologista

Mário Ferreira,
médico, Hospital da Luz


18h Encerramento
Paulo Filipe Monteiro

Organização de José Carlos Abrantes em colaboração com o Serviço de Neurocirurgia do Hospital de Santa Maria, o Institut Franco-Portugais e Edições 70.

Mais informações aqui