xml !

quinta-feira, novembro 23, 2006

A TELEVISÃO vista por Carrilho

Segundo o Público, Manuel Maria Carrilho defendeu ontem, em Coimbra, que a ERC não deveria ter renovado as licenças de televisão aos canais privados. E mostra-se contra a presença do actual esquema de comentadores na RTP bem como advoga a criação de uma Ordem dos Jornalistas. Quanto aos comentadores, importa avaliar o que tem sido feito e decidir de outro modo, isso é inegável. O actual sistema de comentadores não é um sistema adequado ao serviço público. Quanto à Ordem, já ouvi Emídio Rangel e Vicente Jorge Silva defender a mesma ideia. Será que os jornalistas deveriam estar parados neste assunto? Penso que não.

"Outra das situações que preocupam Carrilho é a existência de um "comentador dominical, em regime de excepção", na RTP 1. "Ainda há dias, assumiu a ambição de se candidatar à presidência da República, daqui a dez anos, e é alguém que vive, como é conhecido, num ambiente de intriga política", protestou Carrilho, sem nomear Marcelo Rebelo de Sousa, para concluir noutro momento do colóquio: "Faz carreira à custa do erário público. E não é o facto de à segunda-feira vir o outro [António Vitorino] que assegura o pluralismo."
Carrilho defendeu ainda que os jornalistas passaram a ser tão ou mais poderosos que os políticos, pelo que deveriam estar também obrigados a apresentar declaração de interesses. E defendeu a criação de uma Ordem dos Jornalistas, em nome da aplicação eficaz de sanções às violações do código deontológico da profissão. Álvaro Vieira"